15/05/2014

Experiências inspiradoras na profissão de escritor!

Eu vi esse livro, quando a escritora Tammy Luciano compartilhou em seu perfil do Facebook, dizendo que era uma obra onde ela e mais 57 escritores escreveram 7 coisas, 7 conselhos que eles acharam mais importante para a carreira de um autor. Eu não tive tempo de ler o livro por inteiro, mas as partes que li, confesso, foram muito boas! Mensagens e lições que aqueles que realmente querem crescer nesse ramo devem seguir. Não é possível eu colocar todas aqui, e nem dos 58 escritores, mas selecionei 7, para que vocês tenham uma ideia de como o livro é interessante!


Baixe o seu aqui: Link



1. Escrever o que eu realmente acredito.
Vejo muitos autores trabalharem as suas histórias para serem comerciais. Outros seguem “temas da moda” a fim de aproveitar a euforia desse modismo. Para mim, um bom livro é aquele que transcreve “as verdades” do autor, ou seja, fala de assuntos da sua preferência com criatividade e alma. Um texto precisa ter identidade e isso só se consegue quando se acredita verdadeiramente no que se escreve. (EDUARDO KASSE).

2. Montar um esqueleto da obra.
Uma coisa que me ajuda a não desistir é montar um esqueleto da obra com os eventos e personagens principais. Isso me dá um norte e ajuda quando chega o bloqueio criativo. A partir da ideia inicial, começo a imaginar as personagens, o local onde a história se passará, quem serão os mocinhos e vilões, qual será o tema central, etc. Elaboro um esqueleto da história com a forma que eu gostaria que ela começasse, tivesse andamento e terminasse. Sei que alguns autores começam a escrever sem saber onde a história os levará, mas eu não sou assim. Durante o processo acontece de algumas ideias mudarem: as personagens começam a ter vida própria e nos guiam para lugares onde não esperávamos que as colocaríamos, mas isso só é possível porque no início eu já tinha um rumo. Depois de fazer o esqueleto tudo fica mais fácil. O caminho está traçado, só é preciso criar os meios de se chegar até o final. (FRANCINE CRUZ).

 3. Conheça o final de sua história.
Fui um dos alunos de Doc Comparato (autor de vários seriados da rede Globo nos anos 80, como Malu Mulher) na Casa das Artes de Laranjeiras (CAL) no Rio de Janeiro; ele disse que eu precisava saber o final de minha história para ter uma meta e não me desviar. Disse também que se eu conseguisse escrever o inicio, o meio e o fim de minha história em 6 linhas então poderia escrever qualquer enredo de várias páginas. Tenho usado este método e tem dado certo até hoje. (EDSON GOMES).

5. Deixe o texto dormir.
Nosso ímpeto inicial, assim que terminamos um texto, é achar que ele está excelente e deve ser publicado ou está horrível e deve ser apagado. Não faça nem uma coisa, nem outra. Normalmente, há um envolvimento emocional quando escrevemos (especialmente ficção), então é fundamental que possamos nos afastar por um instante de nosso texto, vê-lo com mais frieza, a fim de julgarmos sua qualidade e perceber seus defeitos. Apagar, jamais! Sempre se pode aproveitar algo de um escrito nosso, nem que seja uma frase, uma metáfora. E como hoje é muito fácil salvar versões em nosso computador ou pen-drive, não delete nada, nunca. Só seja suficientemente organizado para armazenar essas anotações todas. (MARCELO SPALDING)

4. Controle o ego.
Vejo muito escritor de primeira viagem dizer que ninguém pode tocar ou falar mal do livro que escreveu; que aquilo ali é a arte dele. É preciso escutar críticas construtivas e tentar melhorar, não deixar o ego impedir sua evolução. Eu não mudaria meu estilo de escrita com base em críticas, mas buscaria melhorar, estudar; todo mundo pode melhorar. Esta é uma lição pra vida. (EDUARDO SPOHR)

6. Leia como escritor e assista a filmes como roteirista.
Preste atenção aos detalhes da trama que parecem sem importância. É provável que o roteirista ou escritor os tenha colocado ali por algum motivo. Perceba quando os personagens contam a história através dos diálogos. E sempre se pergunte: há outras formas de se contar esta história? (LEONARDO BARROS).

7. Escritores precisam ser amigos de escritores.
O trabalho do escritor é solitário, mas a carreira não precisa ser. Sou da turma que gosta de se unir a outros escritores, de divulgar os livros dos amigos e isso não diminui minha carreira. Pelo contrário, fiz amigos maravilhosos, li livros de autores nacionais ótimos. Não ache o seu livro o melhor de todos e saiba que você não está acima de ninguém. Escritores estão na mesma batalha e, mesmo que você ame seu livro e lute muito pela sua carreira, pode também ter parcerias com escritores. Isso só valoriza a nossa literatura nacional. Espero que minha participação ajude outras pessoas que buscam sucesso na escrita e desejam informações úteis. Um beijo para todos. Sejam sempre felizes (TAMMY LUCIANO).

Comentem!! 
Tony Ferr

Sou Tony Ferr e amo o que faço. Tenho 23 anos, ainda! Sou escritor apaixonado e blogueiro por vocação! Amo romances de época e contemporâneos, falando de amor está na minha estante! A música e a pintura também fazem parte de mim.

3 comentários:

  1. Gostei das dicas, e ainda mais que pude baixar o e-book. Vai ser importante para mim, com toda a certeza. Obrigado.

    http://inverso-mente.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Realmente Alexandre, são dicas muito construtivas! Obrigado pela visita!

    ResponderExcluir
  3. Adorei essas dicas, tento cumprir a maioria delas, rsrsrsr. Mas adorei mesmo!
    http://mylenaaraujo21.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

DICAS LITERÁRIAS | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2016 | POR:
COMPRE AQUI O LAYOUT QUE SEU BLOG MERECEBILLION DOLLAR LAYOUTS